Gilles Villeneuve 1950-1982

Completam-se hoje 30 anos desde o dia que viu partir Gilles Villeneuve, um dos mais virtuosos pilotos de Formula 1 de todos os tempos, num acidente nos treinos de qualificação para o Grande Premio da Bélgica em Zolder, quando o seu Ferrari embateu no mais lento March de Jochen Mass sendo projectado para a vedação entre os destroços do carro.
Em 6 temporadas incompletas conquistou 6 vitórias e o vice-campeonato de 1979, era no entanto o  grande ídolo dos Tiffosi, pelo seu estilo exuberante, principalmente com pneus gastos, com o controlo exímio do carro em derrapagem controlada, derivada das suas origens nas corridas de snowmobil, chegando mesmo a ser campeão do mundo da modalidade.
O "seu" dorsal 27 tornou-se icónico e passou a ser usado em todas as temporadas pela Scuderia Ferrari (com excepção de 1990 em que correram com os dorsais 1 e 2 em virtude da contratação do campeão mundial Alain Prost), até a FIA regular que os dorsais seriam atribuídos pela classificação do campeonato de construtores do ano anterior.
Uma rara imagem da estreia, com a McLaren em Silverstone 1977, na única corrida pela equipa, com um terceiro carro, antes de ser contratado pela Ferrari, depois da Marlboro ter proíbido a McLaren de voltar a inscrever o terceiro carro por não haver dinheiro para tal...
A sua tenacidade e vontade de vencer, que fazia lembrar a Enzo Ferrari o seu piloto favorito de todos os tempos, Tazio Nuvolari é bem patente no duelo com o Renault de Rene Arnoux pelo segundo lugar do G.P. França de 1979 que se reproduz:

2 comentários:

  1. Esse duelo com o Arnoux é tão famoso que eclipsou um acontecimento histórico para a F1, nessa mesma prova: foi também a primeira vitória da Renault e a primeira vez que um motor turbo venceu uma prova.

    ResponderEliminar
  2. Grandes imagens.....

    Um abraço Pedro

    ResponderEliminar